Apenas no ano de 2019 o Disque Direitos Humanos registrou 86,8 mil denúncias de violações de direitos de crianças e adolescentes, um aumento de quase 14% em relação ao ano anterior

 

*Edna Macedo

O dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi estabelecida em 1988, após uma menina de oito anos ter sido sequestrada, drogada, espancada, violentada e morta no dia 18 de maio 1973.

Apenas no ano de 2019 o Disque Direitos Humanos registrou 86,8 mil denúncias de violações de direitos de crianças e adolescentes, um aumento de quase 14% em relação ao ano anterior. Destas denuncias, 11% se relacionavam à exploração sexual, o que equivale a 17 mil casos.

O levantamento da entidade também permitiu identificar que, em 73% dos casos, a violência ocorre na casa da vítima ou do agressor. Além disso, em 40% dos casos a violência é cometida por pai ou padrasto da criança ou adolescente.

Outro ponto que vale ser ressalto é que em 87% dos registros de ocorrências desse tipo o suspeito é homem e em 62% dos casos tem idade entre 25 e 40 anos. Em 46% das ocorrências a vítima tem entre 12 e 17 anos e é do sexo feminino.

Pensando nisso a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente lançou a campanha Maio Laranja, que tem como objetivo a conscientização e a prevenção a exploração sexual contra crianças e adolescentes. A intenção é dar visibilidade ao tema, mobilizando autoridades e toda a sociedade a participar ativamente da causa.

A proteção das crianças e adolescentes de um país não é apenas dos pais, mas de toda sociedade. Precisamos nos mobilizar para que casos como o que motivou a campanha não se repitam, o primeiro passo é não se calar diante de casos de abusos. O Disque Denúncia é uma das nossas principais ferramentas para combater esse mal, vamos usá-la.

*Edna Macedo é deputada estadual pelo Republicanos SP

Related Posts