Carvalho defende assistência social em Comissão: "Tenho propriedade para falar"

“Nasci no morro do Rio de Janeiro e até os 23 anos vivi ema favela. Sei o que é viver em situação de desigualdade social. Muitas vezes marginalizadas, as instituições de assistência social, são colocadas ao relento. Muitas delas, estão implorando, passando pires na mão, para que tenham o recurso necessário para fazer o que seria papel do Estado fazer”, polemizou.