celso-russomanno-republicanos-foto-douglas-gomes-11-10-19-

O Dia das Crianças está se aproximando e com ele vem aquela famosa questão: O que devo dar de presente para meu filho ou filha? Algumas crianças irão receber roupas, viagens ou até mesmo passar o dia no parque ou no cinema. Neste artigo quero dar atenção especial aos brinquedos, líderes absolutos de vendas entre a garotada. Separei algumas dicas fundamentais para que você presenteie as crianças com tranquilidade e segurança. Vamos lá!

1) Confira se o brinquedo possui o Selo de Identificação da Conformidade do Inmetro presente nas embalagens dos produtos. Se não tiver o selo e o brinquedo for pintado com tinta colorida que pode conter chumbo, sua criança correrá perigo de intoxicação.

2) Sempre verifique a indicação de faixa etária, produtos certificados pelo Inmetro apresentam esta informação na embalagem. Se seu filho tiver até três anos de idade evite comprar brinquedos com partes desmontáveis muito pequenas, pois a possibilidade dele levar algum objeto à boca é muito grande, gerando assim risco de intoxicação ou asfixia;

3) Se optar por um produto com pilhas ou baterias, sempre escolha brinquedos com parafusos afixados. Pois assim somente um adulto poderá abri-lo, o que aumentará a segurança da criança;

4) Bichinhos de pelúcia devem ter uma trava resistente na região dos olhos, nariz e boca do boneco, ou em outras partes externas, de maneira que nem um adulto consiga retirá-la até mesmo com um alicate;

5) Você pode comprar um brinquedo importado para seu filho, mas verifique se possui o selo do Inmetro e se as especificações técnicas estão legíveis e em língua portuguesa. O Código de Defesa do Consumidor estabelece em seu artigo 31 que “A oferta e apresentação de produtos ou serviços devem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores;

6) Sempre exija a nota fiscal! Se tiver alguma desconfiança de que o brinquedo é falsificado acione os órgãos de defesa do consumidor para que o produto seja apreendido para averiguação.

Muitos brinquedos falsificados ou sem procedência determinada encontrados no comércio podem chamar a atenção pelo preço, mas em primeiro lugar devemos pensar na preservação da saúde de nossas crianças. Diariamente recebo reclamações de pais e mães que compraram produtos sem certificação que ocasionaram graves acidentes com seus filhos. Esta semana, por exemplo, recebi o relato de uma mãe que deixou sua filha, por alguns instantes, em uma boia aparentemente segura e quando se deu conta a menina estava quase se afogando. Nada vale mais que a vida do seu filho, tome cuidado!

Celso Russomanno é deputado federal pelo Republicanos São Paulo