WhatsApp Image 2019-10-31 at 14.54.37 (1)

O partido Republicanos repudia veementemente a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), sugerindo a edição de um novo Ato Institucional nº 5, nos moldes do que ocorreu no período da ditadura militar.

Convém lembrar que o AI-5 foi o mais severo dos chamados Atos Institucionais – conjunto de normas baixadas pelo governo durante a ditadura – no período do governo militar no Brasil. Assinado pelo presidente Costa e Silva em 1968, o texto autorizou o chefe do Executivo a fechar o Congresso Nacional e as assembleias legislativas estaduais, a perseguir ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e instituiu a censura prévia à imprensa e a manifestações culturais.

Ressalta-se, ainda, que atentar contra a democracia é crime, como prescreve o artigo 5º da Constituição Federal:

XLIV –  constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado democrático;

Nós, republicanos, defendemos de forma intransigente a Constituição, a democracia e as instituições e não podemos aceitar, sob nenhuma justificativa, qualquer incitação a atitudes autoritárias.

Infelizmente não é a primeira vez que Eduardo Bolsonaro, o deputado mais votado da nossa democracia, dá indícios de que flerta com o autoritarismo.

Nós, do Republicanos, temos colaborado com o governo do presidente Jair Bolsonaro em tudo aquilo que é bom para o País. Outros partidos também têm feito seus respectivos esforços para avançarmos sobretudo na melhora econômica

É hora de investir no bom senso, no equilíbrio, na moderação e no diálogo. Nós, do Republicanos, colocamo-nos à disposição para ajudar nessa construção desde que qualquer simples menção aos momentos obscuros da nossa história fiquem para trás.

Republicanos

Marcos Pereira
Presidente Nacional
Vice-Presidente da Câmara

Executiva Nacional

Liderança da Câmara