A “Janela Partidária” para vereadores que queiram trocar de partido antes da eleição termina no dia 3 de abril. A medida é uma forma de trocar a legenda sem risco de perder o mandato por infidelidade. A determinação é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por meio da minirreforma eleitoral de 2015. Mas nesta corrida contra o tempo, como anda a participação da mulher na inserção do meio político?

Desde que assumi como deputada federal, tenho incentivado a formação de quadros femininos e a preparação de candidatas para a disputa de eleições.

Acredito no potencial e no protagonismo feminino em debates sociais e políticos. Somos capazes de transformar realidades, salvar vidas e trazer mais dignidade ao povo brasileiro.

É importante debater a participação da mulher na vida pública. E, todos os anos, o Republicanos realiza um encontro para lideranças femininas de todo o País. São tratados temas como atuação nas redes sociais, construção da imagem, oratória, política participativa, cidadania e como se destacar no processo eleitoral.

Encontros como esse estimulam as mulheres e fortalecem seus direitos. É uma oportunidade em que cada uma olha para dentro de si e percebe que pode liderar e se aperfeiçoar. 

O Republicanos incentiva e capacita as mulheres para ingressar na política. O objetivo é aumentar o número de mulheres candidatas nas eleições de outubro deste ano, para prefeitos e vereadores em todos os 5,5 mil municípios. A ideia é que todas as cidades tenham, no mínimo, uma mulher vereadora. No Brasil, ainda  temos 1,4 mil municípios sem uma mulher na Câmara.

Colocar as mulheres em condições de igualdade na tomada de decisões constitui não só uma exigência básica de justiça ou democracia, mas uma condição necessária para que os interesses das mulheres sejam levados em conta na elaboração das políticas públicas.

É com representatividade feminina nas instâncias de poder que a democracia se fortalece. É na relação entre ideias e presença que as mulheres podem depositar as melhores esperanças de encontrar um sistema mais justo.

Na Câmara dos Deputados, a bancada feminina é a maior de toda a história. Somos 77 parlamentares, o que representa 15% das cadeiras.  E, a cada mandato, estamos despertando mais.

Em tempo, a “janela partidária” é um direito de homens e mulheres e pode definir o sucesso ou não das legendas nas eleições deste ano. Sigamos fortes e juntas por um Brasil de mais oportunidades! Vem você também ser 10 !

Calendário das eleições

O prazo para a “janela partidária” sempre se encerra seis meses antes do pleito. Neste ano, o primeiro turno está marcado para 4 de outubro, e o segundo turno (somente em municípios com mais de 200 mil eleitores), no dia 25 do mesmo mês.

*Maria Rosas é deputada federal pelo Republicanos/SP e secretária estadual do Mulheres Republicanas de São Paulo.