Proposta prevê a incorporação ao Instituto Butantan com a manutenção das atividades e a transferência total do quadro de funcionários

 

A deputada estadual Edna Macedo propôs uma emenda ao Projeto de Lei 529 – que extingue uma série de empresas e fundações estaduais – com o intuito de preservar o funcionamento da Fundação para o Remédio Popular (Furp), bem como os empregos de seus funcionários. A emenda prevê a incorporação dela ao Instituto Butantan com a manutenção das suas atividades e a transferência com a integração total do quadro de funcionários.

Em abril deste ano, a deputada já havia enviado ao Governador João Dória (PSDB) uma indicação formal para que o mesmo empregasse as competências e capacidades da FURP no combate ao Covid-19, dada a sua capacidade para suprir a carência de alguns insumos imprescindíveis à pandemia que enfrentamos, como por exemplo, a produção de álcool em gel ou do medicamento cloroquina.

“A potencialidade de um dos maiores laboratórios farmacêuticos públicos da américa latina está sendo ignorada e até mesmo combatida por este Governo, que desde setembro do ano passado informou sua intenção de encerrar a Furp. Sou contrária ao PL 529, e justamente por temer a sua aprovação e arduamente lutar pela saúde pública do nosso estimado estado, propus a emenda.” – lamentou Edna Macedo.

Além do encerramento das atividades da Furp, o projeto do Governo do Estado de São Paulo encaminhado à Assembleia Legislativa (Alesp) também prevê o fechamento de dez autarquias e instituições públicas até o início do ano que vem. Além da FURP, a área da Saúde também será prejudicada com o fechamento da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) e a Fundação Oncocentro de São Paulo (Fosp).

Texto e imagem: Ascom – deputada estadual Edna Macedo

 

Related Posts